Olá meus queridos, como vão vcs?

Quanto tempo que ñ vinha aqui, estava morrendo de saudades. Passei por diversas fases esse ano, vários questionamentos e batalhas internas. Afinal, ter 28 anos e não ser extremamente bem sucedida no trabalho é um absurdo no mundo em que vivemos, ñ é mesmo? Todo esse caminho brilhante era pra ter tido início há exatos 10 anos atrás, na escolha da faculdade. E ai de vc se escolheu o curso errado, hein !? hahahah (que ironia)

Só eu acho que escolher o que vc quer fazer pro resto da sua vida com 18 anos, muito precipitado? A gente acaba escolhendo o curso de acordo com as matérias que gostamos mais na escola, e fugimos das matérias que odiamos. Pelo menos na maioria dos casos, e no meu caso, foi assim. Ficamos com medo de ter que estudar por mais 4 anos aquelas matérias que odiávamos na escola, e acaba que na prática não é bem assim. Enfim, se eu fosse escolher hoje em dia qual faculdade fazer, eu não teria escolhido Comunicação Social ou Design Gráfico (fiz vestibular pra Comunicação, mas depois de um ano mudei para Design).

Hoje em dia, além de Designer, também sou Atriz, mas não são as minhas profissões que me definem. Queria eeeeu saber desde pequena o que eu queria ser quando crescer, e admiro quem sabia e que hoje se define muito pela carreira que tem. Mas não é o meu caso, e eu não tenho mais vergonha de admitir isso.

Toda essa pressão da sociedade e acima de tudo, toda a pressão que eu mesma colocava em mim, estava me fazendo mal, mas tão mal, que eu congelava e não conseguia me planejar, entrava em pânico sozinha, e simplesmente não fazia nada. Tinha vergonha de ter tentado uma marca de doces e ñ ter ido para frente, tinha vergonha de ter começado o blog e parado. As pessoas me perguntavam o que eu fazia da vida e eu não tinha mais muito o que acrescentar.

E ai eu parei com toda essa bobeira e pensei ”Eu preciso mesmo ter vergonha de ter tentado? Preciso mesmo ficar me justificando para as pessoas de todos os passos da minha vida?”, entre outros questionamentos. Afinal, nesses últimos 3 anos, além de ter tentado várias trabalhos paralelos, eu realizei um grande sonho, me formei como atriz e entrei em cartaz 3 vezes com a minha peça de formatura (últimas apresentações essa quinta e sexta no teatro Ipanema às 20h). Estive presente em momentos importantes na vida das pessoas que eu amo e vice versa. Fui a melhor amiga, filha, namorada e pessoa que pude ser. Sempre tentando evoluir, melhorar meus defeitos e tratar sempre com respeito todos a minha volta. Fui leal, verdadeira, companheira. Não fui perfeita, e nem quero ser, mas vivi e vivo todos os dias, tentando sempre fazer o bem. Não são diversos motivos para ter orgulho de mim mesma? Eu acho que sim.

Mas ai eu tenho que me sentir um lixo pq eu não ganho dinheiro o suficiente para entrar na cota dos BENS SUCEDIDOS de acordo com a sociedade??

Não posso ser uma pessoa feliz se não tenho um emprego fixo?

Muito complicado sentir na pele que as pessoas giram completamente em torno do dinheiro para serem plenas. É claro que ter um emprego estável é muito bom, muito satisfatório, afinal nós precisamos de dinheiro para sobreviver. Mas até que ponto isso vai mover a sua vida? Vc prefere ser completamente infeliz nos outros aspectos da vida, mas ser rico?

Eu me considero uma pessoa feliz, na verdade sempre me considerei. Até disso eu tinha vergonha de admitir, acreditam? Pq sempre faltavam aqueles zeros na minha conta bancária, aquele carimbo na minha carteira de trabalho, que eu precisava ter para ai sim ser feliz para o mundo exterior.

Tenho 28 anos e sim, estou ainda na busca do meu emprego dos sonhos, que eu sei que é possível alcançar. Até mesmo mais de um pra ser sincera. Mas parei de tentar analisar o que as pessoas querem que eu seja, ou o que se espera de mim nessa sociedade maluca, parei de me cobrar tanto pelo sucesso profissional imediato. Ainda posso ter pequenas crises e dúvidas? Claro, sou humana e quem ñ tem suas inseguranças, né? hahahah.

Mas agora eu faço as coisas apenas por MIM, para o MEU bem, pq EU quero, e no MEU tempo. Sem me abater com críticas, pré julgamentos e pressões externas. Por mais que eu quisesse que todos os meus outros sonhos se realizassem agora,  eu tenho um longo caminho pela frente, e eu não vou desistir por já ter 28 anos. Não vou mais ficar presa no que a sociedade quer que eu me transforme, e vou continuar correndo atrás do que eu realmente quero ser, sem medo de fracassar e começar de novo.

via GIPHY

Beijinhos, e espero os comentários de vcs <3